Sabe quando a coisas não saem do jeito que você planejou, sua vida não se parece em nada com aquela que você sonhou? De quem é responsabilidade nesses casos? Vamos conversar sobre isso?

Existem 2 tipos de pessoas:

1) Aquela que acha um culpado e foge de todo jeito da chamada autorresponsabilidade. A culpa é dos outros, do tempo, da vida.

2) Aquela que assume a responsabilidade pelos resultados, e aprende com os erros e muda. Simples assim.

Que tipo de pessoa você é?

Em toda situação, existem sempre três terços de responsabilidade: um terço é da sua responsabilidade, um terço é do outro, e a terceira parte de fatores externos, aquilo é de força maior (Deus, a economia, política, etc)

Atenha-se somente àquilo que está na sua responsabilidade pessoal

Esta é a Lei do “Um Terço”, e sua grande variável é o fato de que o tamanho de cada terço é diferente para cada evento da vida. Existem situações que dependem muito mais de Deus e de outras pessoas, e apenas um pouco de você. E existem resultados que dependem muito mais de você do que dos outros terços.

Pessoas protagonistas, bem-sucedidas e felizes, em geral, são aquelas que, independentemente do tamanho do seu um terço de responsabilidade, fazem a sua parte e se dedica 100% ao seu um terço de responsabilidade. Elas fazem seu planejamento pessoal levando em conta aquilo que depende só delas.

Mas existem pessoas que se colocam na posição de vítima, que acham um culpado pra tudo, vive insatisfeita e infeliz. Essas pessoas agem assim pois entendem que o resultado que elas querem dependem muito mais de fatores que supostamente estão fora do seu controle, do que de si mesmo, e assim acabam terceirizando seus projetos, seus sonhos, seus planos ou seja, sua própria felicidade.

Isso faz algum sentido pra você?

Em qual grupo de pessoas você se encaixa? Lembre-se: sempre é tempo de rever conceitos e passar a ser autorresponsável. E passe e refletir (e agir!) naquilo que você pode fazer que está ao seu alcance, que só depende de você.